BUSCA DA SABEDORIA

Milton Matos Rolim

                Segundo o que circula nas redes sociais, o grande sábio chinês Confúcio (500 a. C.) teria dito:

“Há três métodos para ganhar sabedoria: primeiro, por reflexão, que é o mais nobre; segundo, por imitação, que é o mais fácil; e terceiro, por experiência, que é o mais amargo.”

                Então vamos tentar usar o primeiro método para refletir sobre a citação acima tomando-a como um princípio, um postulado. Isto é, vamos analisar sua aplicação aceitando sua validade.

                O primeiro método, por ser o mais nobre, é o que devemos utilizar em primeiro lugar. Isto porque quando buscamos aprender por reflexão, não interferimos nos fatos nem com as pessoas e outros seres vivos. Analisamos como algo externo, de acordo com as informações que chegam a nossa mente, por qualquer meio. Isto é, com aquilo que realmente somos analisamos o que não somos. Isto é extremamente difícil de ser feito, pois temos a tendência de ver no outro os defeitos e qualidade que são nossos e não do outro, como indivíduo.

                O segundo, por ser o mais fácil, é o que devemos utilizar quando não conseguimos pelo primeiro, que é o mais nobre, e desejamos evitar o terceiro, que é o mais amargo. Paradoxalmente, na prática, o mais fácil pode parecer o mais difícil, pois exige de nós algo que poucos tem a capacidade de oferecer. Este método exige humildade de aceitar nossas limitações e, principalmente, que outros podem ter superado estas limitações e que seguir o exemplo destas pessoas pode nos tornar melhores, trazendo assim a sabedoria que não conseguimos com o primeiro método.

                O terceiro, por ser o mais amargo, é o que tentamos evitar. Porém, o único meio de evitá-lo é ter adquirido esta sabedoria pelos dois primeiros métodos. Isto significa que os dois primeiros métodos são opcionais, mas se não escolhemos um deles, seremos submetidos automaticamente ao terceiro, ao mais amargo. É como aquela criança que não entendeu ainda que uma panela quente pode queimar e então coloca a mão nela e se queima. Aprende, pelo método mais amargo, que não deve colocar a mão na panela quente.

                O normal, ao final de um texto, é se fazer uma conclusão sobre o que foi dito, mas acho que seria interessante deixar que cada um tire sua conclusão, inclusive sobre a validade do que escrevi, “por reflexão”.

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s