É SIMPLES MAS NÃO É FÁCIL.

Milton Matos Rolim – 17/08/2017

Entender a política é algo extremamente difícil, mas depois de algum esforço você percebe que, apesar de difícil, é simples. É simples porque tudo se resume a alcançar o poder, com algum objetivo, e é difícil porque para conseguir o apoio da população e chegar ao poder, a maioria dos políticos, precisa esconder seu real objetivo através de muita distorção da realidade ou, muitas vezes, simplesmente através da mentira. Vou tentar simplificar um aspecto da nossa política atual, sabendo que perderei muitos detalhes, que poderão ser buscados facilmente em fontes confiáveis.

No governo militar existiam eleições que eram disputadas por dois partidos: ARENA da situação e MDB da oposição. Com o fim do governo militar, ficaram os políticos que mudaram o nome dos partidos. O ARENA virou PDS e o MDB virou PMDB.

Do PDS surgiram PP, PFL (que atualmente se chama DEM) e, talvez (não tenho certeza), alguns outros partidos pequenos. Do PMDB surgira todos os outros, com o apoio de quem retornou do exílio após a anistia ou estavam na clandestinidade, como o PMDB, PSDB, PDT, PT, PCB, PCdoB e todos os outros considerados à esquerda do PMDB e PSDB.

Desde o início uma estratégia simples foi fortalecendo PMDB, PSDB e PT, ao mesmo tempo que enfraqueciam todos os outros, considerados à direita do PMDB e PSDB. Dois partidos aderiram a “tática das tesouras”, PT e PSDB, e se apresentaram como opositores aos governos, que na época eram do PMDB, os primeiros após a ditadura, não esquecendo que o Collor, que se elegeu por um partido pequeno, foi derrubado assumindo Itamar Franco, oriundo do MDB e PMDB. Neste momento, queda do Collor, o PSDB entrou para o governo (situação), criou o plano real e o PT se posicionou na oposição e combateu o plano real. Nos dois governos do PSDB, o PMDB permaneceu no governo e o PT se apresentou como único partido de oposição que realmente podia moralizar, afastando PSDB e PMDB do governo.

Surpreendentemente, em 2002, tínhamos a impressão que FHC fazia campanha para o Lula do PT e não para o José Serra do seu partido, o PSDB. O PT acabou ganhando seu primeiro mandado no executivo e, mais surpreendente ainda, o PMDB continuou no governo.

Como eu disse é difícil, mas é simples. Os papéis agora (agosto de 2017) estão um pouco mudados. O PMDB passou a ser governo, o PT que era governo virou oposição e o PSDB que era oposição se tornou o partido que está tentando parecer neutro, como o PMDB fazia até então.

O relato acima não é para levar o leitor a qualquer conclusão. É apenas para ajudar com informações para compreender o que é simples, mas não é fácil. É simples entender que estamos diante de uma disputa de poder, mas é muito difícil responder a pergunta: Quem está sendo declarando seus reais objetivos ao chegar ao poder e quem está discursando apenas para obter os votos, para se eleger e, depois de eleito, usar o poder como quiser.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s